Aparteando

Nenhum político maranhense chiou com vontade sobre a exploração da Base de Alcântara sem retorno tecnológico para o Maranhão e o Brasil.

Gozadores de plantão dizem que vamos virar alvo do terrorismo com os gringos em Alcântara.

Correta a leitura do senador Weverton Rocha quando afirma que a CPI da Toga será um mero oportunismo.

Próprio STF deu a senha para serem mastigados pelos políticos com a decisão de enviar a ladroagem do caixa dois para a justiça eleitoral.

Impressiona a decolagem de mídia da Famem com a presença de Leandro Miranda na primeira semana de comando na comunicação.

Grupo de amigos ligados ao deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) lançaram a proposta eleitoral do jornalista Jeisael Marx como pré-candidato à prefeitura da capital.

Criativo e polêmico como poucos, deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), conseguiu transformar, no informal, a comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão na do consumidor.

Saída de Luís Fernando (PSDB) cria todos os facilitadores para Jota Pinto (PATRI) ser o potencial vencedor na eleição de prefeito de São José de Ribamar.

Coluna Aparte – Outro país

Sempre o Nordeste esteve na mente coletiva como um Brasil diferente, com povo e costumes que foge ao padrão obrigatório do Sudeste e Sul. Referência dos críticos, desenhando uma região dependente, sem permitir o registro de independência e potencial de crescimento.

Tivemos homens poderosos no Congresso Nacional e na cadeira presidencial, nada mudou, permanece a necessidade com alarmantes índices de miséria gerando o secular êxodo da massa trabalhadora aceitando o subemprego que constrói a riqueza dos estados mais abastados.

Inteligente a criação do Consórcio Nordeste, sacada administrativa e de blindagem política contra as façanhas do intempestivo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Mesmo articulado e lançando pelo Palácio dos Leões, o comando inicial fica nas mãos do governo da Bahia.

Todo o processo indica a intenção regional de asfixiar o opositor nacional, sem distanciar da discussão da eleição presidencial em 2022.

Flávio Dino (PCdoB) observa que seu prazo de menos de quatro anos pode ser pouco para absorver a carga eleitoral na intenção de estabelecer seu nome como o candidato orgânico de todos os brasileiros.

Ainda devem surgir os opinadores de plantão jurando que este movimento serve somente para os estados comprarem os equipamentos mais baratos. Quanta falta de discernimento.

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

 

Blocão Brasil

Indescritível presidente Jair Bolsonaro (PSL) conseguiu com sua bipolaridade política dividir o Brasil em Norte e Sul.

Primeiro, foram os governantes do Nordeste a formar o bloco da independência, nomeado de Consórcio Nordeste, pensado, calculado e organizado pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Parece que o Norte, tirando as exceções laranjas, tendem a inchar o blocão.

Agora, sem esperar nem o defunto esfriar, o Sul e Sudeste, liderado pelo pré-candidato à presidência e governador de São Paulo, João Doria (PSDB), lançou o blocão dos poderosos contra o blocão da independência.

Coitado do Brasil, divido fica melhor para dominar.

Eleição – Desidratação

Diante das enquetes, pesquisas e diversas especulações criando e retirando pré-candidatos à prefeitura de São Luís resta entender que o problema não está no atual porcentual dos primeiros colocados, nem quem vai crescer, mas como evitar a desidratação eleitoral esperando chegar 2020.

 

 

Aparteando

Ainda prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando (PSDB), continua mudo sobre a vinda para integrar o governo estadual.

Obrigatório a apuração do absurdo envolvendo duas crianças presas pela polícia em Caxias. Com a palavra o secretário Jefferson Portela (PCdoB).

Merecidas as férias do secretário de Educação, Felipe Camarão (DEM), vai precisar de energia para aguentar mais quatro anos de trabalho.

Estranha notícia que o sucesso do carnaval em São Luís teve, em parte, o Sistema Mirante como responsável.

Poucos eleitos de primeiro mandato como deputado estadual conseguiram aparecer com alguma ação. Mesma constatação para os federais e senadores.

Inexplicável jogo para pressionar o presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho (PDT), para definir entre ser o presidente ou pré-candidato a prefeito.

Assusta a notícia que o telhado do Castelinho pode ter desabado por causa de calhas entupidas.

Parece que a maior dificuldade da pré-candidatura de Marco Aurélio (PCdoB) para a prefeitura de Imperatriz não seria a oposição. Tem aliado incomodado com o seu crescimento.

Vidrada na ideia de arrancar o PSL do vereador Chico Carvalho tem levado a utilização de agência de propaganda pela ex-candidata Maura Jorge.

Coluna Aparte – Comportamento

Tarefa complicada para um governo explicar a necessidade de aumentar os impostos cobrado da população neste momento delicado que atravessa o Brasil.

Criticado pela sedenta oposição, sempre ávida por novidades para confundir a opinião pública, o governo do Maranhão taxou o ICMS de produtos criando espaço para o debate sobre o comportamento de governos com integrantes do grupo Sarney e de Flávio Dino (PCdoB) na aplicação do tesouro estadual em obras.

Com o discurso de que Lobão e Roseana não aumentavam os impostos, sempre omitindo a falta de responsabilidade e as permanentes denúncias de corrupção, os minguados oposicionistas fogem do real debate de como a atual gestão utiliza o suado dinheiro do contribuinte na reconstrução da educação, segurança, saúde e infraestrutura.

Verdade que nunca será bem-vindo nenhum aumento de imposto, mesmo anunciado com antecedência, fundamental a avaliação coletiva para entender pelo que estão pagando.

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna. 

Klamtiando

Depois da desistência de Felipe Camarão (DEM) como pré-candidato a prefeito de São Luís, apesar de ser um dos assessores predileto de Flávio Dino (PCdoB), ganhou força a vontade do deputado estadual Duarte Jr. (PCdoB) de chamar a atenção do governador para seu nome como possível escolhido. Parecendo uma trepidante máquina, nem no carnaval parou um minuto, sendo o eterno fiscal do consumidor participou até de inspeções nos hospitais acompanhando o gestor Lula Fylho.

Se todo mundo pode ser o pré-candidato de Flávio Dino (PCdoB) a prefeito de São Luís, o deputado federal Bira do Pindaré (PSB) entrou na fila dos prediletos avisando que não está para brincadeira ou acordos sem seu nome. Socialista com coração petista, continua articulando para concretizar seu projeto. Inicialmente tenta conquistar os filiados e a direção do PSB.

Hora da verdade para os aposentados do Brasil, nenhum item apresentado como reforma da previdência alcança os futuros aposentados. Especialistas afirmam que os cinquenta milhões de miseráveis nem foram lembrados pelos membros da equipe econômica do governo Bolsonaro. Basta imaginar o produtor rural do Maranhão, que sobrevive na subsistência, conseguir pagar anualmente R$ 600 reais para uma aposentadoria. Muita maldade.