E agora, que fazer?

Sem dúvida, este deve ser o questionamento que os integrantes do grupo Sarney estão fazendo aos seus competentes profissionais de marketing e da imprensa. O que fazer diante dessa avalanche de fatos positivos que decolou a popularidade do pré-candidato Flávio Dino (PCdoB).

Para fazer uma leitura do atual cenário eleitoral basta ler as últimas edições do jornal O Estado do Maranhão e dos blogueiros alinhados ao grupo da pré-candidata Roseana Sarney (MDB) na falta de conteúdo de ataque a gestão Dino. Tudo está sendo requentado ou aproveitado palavras para deturpar a realidade política.

Enquanto Flávio pulava feito um maluco sadio, suando e ouvido o povo cantar no ritmo “Dino, eu te amo”, Roseana parecia sofrer da abstinência da propriedade pública diante do fato de não ter como dizer que o carnaval foi mais uma vez da sua vontade e generosidade.

Ninguém ainda a viu neste período, pode ser que esteja esperando para o Lava-Prato, em São José de Ribamar.

Saboroso poder assistir este jogo de sobe e desce de popularidade na guerra pelo poder. Hoje, o governador, pode ficar pingando notícia no Twitter falando do carnaval organizado e com baixo índice de violência.

Ainda teve a vitória da Acadêmicos do Tapuapé, em São Paulo, nada haver com o governo, mas bem usado como tal.

Quem conhece José Sarney (MDB) sabe que deve estar com sangue na saliva para mais uma jogada de mestre. Vale imaginar o que será montado.

  • Charge do Nuna.

Aparteando

Assustador o volume de denúncias dos leitores as esquisitas tentativas do Banco do Brasil de impor parcelamento de dívidas com valor triplicado sem autorização do correntista. Quando reclamado a atendente coloca a culpa no Banco Central. Malandragem pura.

Virou piada com vídeos sexuais de casais ou pessoas esculhambando a Rede Globo pela campanha que pedi a opinião do Brasil que queremos para o futuro. É cada postagem mais hilária que a outra.

Tem muito motorista chateado com o secretário Canidé Barros por causa das câmaras de vídeo monitoramento espalhadas pela cidade, muitos alegam que fere a intimidade do condutor. Bom, só se a gravação for de um momento erótico no carro.

Afinal, existe algum heliponto liberado pela ANAC para os constantes pousos e decolagens de cima dos prédios de luxo comerciais e residenciais em São Luís?

  • Coluna Aparte, publicada nas segundas-feiras, na página Opinião, jornal O Imparcial.

Coluna Aparte – Como entender?

Durante décadas a Câmara de Vereadores de São Luís viveu na sombra quando o assunto era a transparência no uso do dinheiro público e na lista de funcionários.

Bastou a atual gestão, comandada pelo vereador Astro de Ogum, resolver fazer do poder municipal um lugar de transparência para surgir os incomodados que estão sendo obrigados a fazer o recadastramento e realmente trabalhar nos gabinetes dos vereadores.

Fica sem explicação as notas na imprensa criticando os valores pagos aos servidores devidamente aceitos pelo Ministério Público Estadual e a justiça do Maranhão.

Tem digital conhecida nesta peripécia.

  • Coluna Aparte, publicada as segundas-feiras, na página Opinião, jornal O Imparcial.

Coluna Aparte – Vem aí

Neste carnaval não vai faltar pré-candidatos fantasiados de carnavalescos convictos, de folião do povo, de somos todos iguais na alegria, de eu que faço o povo ser feliz, de bebo o que bebes, de o meu carnaval para você é melhor que do outro e de nunca esqueça do seu voto na minha urna.

Mesmo sem ninguém estar preocupado com os políticos querendo mostrar serem os donos da alegria alheia, fica evidente a disposição da turma dos quatro em quatro anos cobrar da massa a estrutura do atual e dos carnavais do passado.

  • Coluna Aparte, publicada as segundas-feiras, na página Opinião, jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna com Zé Maranha fazendo a festa.

Subindo o topo da montanha

Nem sempre o período de carnaval serve para brincar, muitas pessoas aproveitam para descansar, outros reúnem-se com a decisão de orar, ouvir as palavras do Senhor. Cada um no seu espaço.

Interessante a proposta da Igreja da Colheita realizando o Congresso Topo da Montanha, trazendo uma cosmovisão bíblica sobre o Reino de Deus. Poderia ser mais um encontro de louvação, mas resolveram debater temas como a inteligência espiritual e neurociência.

Evidente que programação tem o foco nas palavras do bispo Renato Chaves e do pastor Cláudio Claro, vindo do Rio de Janeiro, para trazer muita música aos presentes. O evento acontece entre os dias 11 a 14 de fevereiro, na Igreja da Colheita, no Recanto do Vinhais, a partir das 19h.

Astro, nova esfera de poder

Todos os poderes seguem, quase sempre, os mesmos rituais de cerimonial com discursos evidentes, sem grandes surpresas ou fatos que fujam a liturgia política.

Durante a abertura dos trabalhos legislativo da Câmara de Vereadores de São Luís, nesta segunda (5), era visível a composição de uma nova esfera de poder no Maranhão. Todos em torno do presidente Astro de Ogum (PR).

Formou-se uma mesa nunca vista naquela Casa do Povo com o secretário Márcio Jerry (PCdoB) pelo Palácio dos Leões, prefeito Edivaldo Holanda (PDT) pelo executivo municipal, presidente Othelino Neto (PCdoB) pelo legislativo estadual, procurador-geral Luiz Gonzaga pelo Ministério Público Estadual, conselheiro Washington Luiz pelo Tribunal de Contas do Estado e o deputado federal Weverton Rocha (PDT) pelo Congresso Nacional.

Nos discursos do prefeito Edivaldo Holanda (PDT), do secretário Márcio Jerry (PCdoB) e do presidente Astro de Ogum (PR) palavras devidamente detalhadas mostrando os êxitos das gestões e, principalmente, a unidade no projeto eleitoral para a consolidação do grupo de Flávio Dino (PCdoB) a partir desta eleição.

Fundamental entender que os atuais chefes de poderes tem o generoso espaço para absorver o comando do estado pelos próximos vinte anos.

Roseana e Flávio, diferentes foliões

Definitivamente Roseana e Flávio são totalmente diferentes, enquanto ele se joga no meio do povo suado, ela prefere o conforto de estar cercada de amigos no ar condicionado.

Ao mesmo tempo que o comunista curtia o carnaval no meio da rua, deixando seus seguranças malucos, a medebista estava dançando com o Bicho-Terra na sofisticada festa do colunista PH.

Nada de errado, questão de gosto e visão eleitoral. Ele, mesmo podendo ser eleito no primeiro turno continua alucinado correndo na busca de mais votos espontâneos.

Ela, acreditando estar eleita, permite seus eleitores a olharem em público algumas vezes nos últimos tempos. Deve ser uma estratégia dos seus marqueteiros.

Morreu filho de todos

Patente a indignação na história do médico que negou atendimento no hospital de Pinheiro a uma criança de São Bento. Fato, o recém-nascido morreu.

Somente a investigação policial com a severa observação do Ministério Público Estadual pode apontar quem tem culpa, se o jornalismo do grupo Sarney está aproveitando a desgraça alheia para mastigar politicamente o desafeto prefeito de Pinheiro ou o grupo Dino.

Perfeita a charge do Nuna, publicada neste sábado (3), na página Opinião, do jornal O Imparcial, para expressar a falta de respeito dos políticos e profissionais da medicina e da imprensa com a perda de um filho de todos os maranhenses.

Câmara, diferente

Com muitas expectativas prepara-se para o dia 05 de fevereiro o retorno dos trabalhos legislativos na Câmara de São Luís.

No campo político as articulações de bastidores para a eleição da mesa diretora.

Na gestão executiva a ampliação dos processos de transparência da folha, na implantação do ponto eletrônico e na condução da modernização da administração correta atenta aos entendimentos com o Ministério Público Estadual e a Vara de Interesses Difusos e Coletivos.

Diferente de muitos.

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, página Opinião, jornal O Imparcial.
  • Imagem do presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum, por Paulo Caura.

Coluna Aparte – Isto sabe

Pode ser que as opiniões políticas do governador Flávio Dino (PCdoB) sempre venham recheadas de muita emoção, com apelo ao sentimental. Faz parte da sua natureza.

Fato, que fica complicado não ouvir calado a opinião jurídica do ex-juiz federal, respeitado e temido pelas suas decisões fundamentadas.

Verdade, que o TRF-4, no Rio Grande do Sul, votou politicamente alinhado para a pulverização da candidatura do Lula a presidente, acertou o ex-magistrado Flávio Dino.

Erra quando tenta fazer acreditar que o petista é honesto.

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, página Opinião, jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.