Coluna Aparte – Do nada, tudo

Assistimos estarrecidos um Congresso Nacional perdido e dividido em facções ideológicas e jogos sórdidos tentando enquadrar e surrupiar o executivo comandado por um governante neurastênico determinado a dominar o país no sistema militar.

Nada conseguiu ser útil para a população, cada dia os brasileiros ficam mais pobres no financeiro e educacional, nada mais perfeito que um povo miserável e burro para dominar.

No Maranhão, temos um governo de ferrenha oposição ao governo federal travando a vinda de novos recursos e colocando o estado como uma terra da diferença dentro do país Brasil.

Normal escutarmos o anúncio de mais e mais obras sem entendermos a mágica da multiplicação dos pães no crítico cenário de recessão nacional, para aumentar o estarrecimento todos os dias inauguram uma nova obra.

Diferente de Bolsonaro (PSL), Dino (PCdoB) tem pleno domínio da Assembleia Legislativa, fazendo do voto coletivo dos deputados o atendimento as suas determinações. Nada mais que aprovar os projetos dos Leões, assim funciona o plenário, nenhum projeto de mínima importância foi apresentado pelos parlamentares.

Nada de debates técnicos que consiga tirar os habitantes da absoluta miséria. Do nada poderia acontecer a transformação na qualidade de vida financeira dos maranhenses.

Tudo será diferente quando houver educação e renda para a independência dos que nunca tiveram direito ao direito. Continuam em tempo de espera depois de tantos governantes corruptos e inoperantes.

  • Coluna Aparte publicada na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

Coluna Aparte – Fina areia

Durante décadas assistimos a história de autoridades, principalmente políticos, escorrer entre os dedos da opinião pública como areia fina.

Muitos que conquistaram mandatos e cargos públicos mantém o despautério de acreditar na eficiência da intimidação contra a imprensa por meio de pressão emocional, agressão física e processos judiciais.

Jornalistas, radialistas, apresentadores, chargistas e blogueiros com condutas ilibadas continuam sendo alvos preferenciais quando apontam duvidosos comportamentos dos eleitos ou contratados para atuarem como representantes da população nos poderes constituídos.

Assusta, mas não intimida, os comunicadores convictos da missão de investigar e divulgar a trajetória dos senhores e senhoras ocupantes de altas patentes, evidente que estes personagens podem produzir atos salutares, dignos de manchetes generosas, outros, lamentavelmente, o desvio de conduta.

Imprensa jamais deve julgar, seu principal papel continua sendo registrar os atos e fatos, produzindo o debate e esclarecimento dos leitores e espectadores.

Alguns estão para delirantes, outros programados armadores, todos acabam devidamente identificados para viverem o expurgo pela sociedade que exige um austero comportamento.

Felizmente a imprensa livre proporciona o novo cenário, infelizmente alguns não sabem o correto.

Assim vive o Maranhão!

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

APARTEANDO

Governador Flávio Dino (PCdoB) avisou aos expertos surdos que a decisão dos nomes dos pré-candidatos a prefeito de São Luís e Imperatriz serão do PCdoB e de sua decisão. Negociações somente para outros municípios.

Interessante que Duarte Jr. (PCdoB) não revida nos seus algozes, preferindo mandar atacar aliados do governo. Pensa menino!

Deputado Marco Aurélio (PCdoB) conta com os excelentes conselhos do experiente Ildon Marques (PSB) para a caminhada a prefeitura de Imperatriz. Só falta o apoio público do secretário Clayton Noleto (PCdoB).

Rubens Pereira (PDT), líder da região Leste, avisou aos intrigueiros que o prefeito de Matões, Ferdinando Coutinho, será reeleito com seu integral voto e dos milhares de aliados. Palavra de Rubão não se discute!

Fred Campos (PDT) ganha fácil campo eleitoral a cada dia com a dúvida do eleitor em entender quem manda na prefeitura de Paço do Lumiar. Marido ou a mulher?

Moto Clube e o Sampaio Correia continuam sendo geridos com competência pelos presidentes. Ainda existe o time do Maranhão Atlético Clube?

Coluna Aparte – Multiplicando malandragens

Maranhão ainda vive a velha fórmula da política de destruição de imagens dos homens públicos utilizando veículos e pessoas da comunicação para denegrir e derrubar ocupantes de cargos públicos.

Jefferson Portela, delegado austero, ficha impecável e limpa, membro leal ao governador Flávio Dino e camarada convicto do PCdoB vive o momento da experiência no furacão que criaram para tentar a instabilidade no sistema de segurança do estado.

Delegados marginais, devidamente identificados por crimes, simplesmente ganham espaço diário na mídia paralela fustigando a intriga entre o executivo e o judiciário.

Fato e roteiro devidamente definido por integrantes da oposição, comunicação, judiciário e ex-dirigentes da segurança pública financiam a maior comédia dos últimos tempos.

Afirmar que o secretário de Segurança estava bisbilhotando desembargadores poderia ser uma grave falta de um servidor público, mas, sem provar, constitui em um sórdido jogo de poucos que perderam o poder.

Nem adianta tentar, todos estão devidamente identificados e enquadrados judicialmente.

No caso dos delegados acusadores nada muda, não existe mais o respeito da sociedade e maneiras de escapar das condenações, questão de tempo. Quanto aos divulgadores utilizados para dar a sensação de verdade no tema repetido para ver se gruda na opinião pública sobrou cabeludos processos, vai custar caro caso os financiadores não dividam as responsabilidades na hora das condenações.

Executivo, judiciário e legislativo pertecem ao pós-Sarney, expurgaram suas influências, sobra uns restos nestes poderes.

Dino não se abala por pouco, Portela continua secretário cada dia mais poderoso e rígido.

Afinal, que havia para investigar sobre estes membros de toga?

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

Coluna Aparte – No gostinho

Naturalmente que depois do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) experimentar o formato anatômico da cadeira de governador do Maranhão jamais perderá o desejo de aspirar o cargo na eleição de 2022.

Verdade que conhece as liturgias e vaidades de chefe de poder como presidente da Assembleia Legislativa, mas a faixa de senhor do executivo tem um gosto a mais, manda muito mais.

Ontem, Flávio Dino (PCdoB) foi eleito para o primeiro mandato. Hoje, está no quinto mês, do primeiro ano, no segundo mandato, sabendo da rapidez na escolha para a definição do sucessor de seu cargo.

Fato, que vai gerar, sem dúvida, a terceira desafetação no seu grupo político depois do rompimento com o senador Roberto Rocha (PSDB) e do ex-governador Zé Reinaldo (PSDB). Evidente que a decisão de Dino pode deixar mágoas nos pré-candidatos Weverton Rocha (PDT) e Carlos Brandão (PRB), e, quem sabe, talvez, o Othelino.

Pode ainda surgir mais um pré-candidato com perfil técnico administrativo ou mesmo um fenômeno político, pouco provável com cada um sentado com força em cima dos espaços conquistados.

Dino mantém, hoje, todos juntos para a fotografia pública que mostre harmonia e liderança, certo que a constância política individual depende do equilíbrio no apetite guloso dos atuais aliados.

Nada será igual depois das eleições municipais em 2020, muitos podem perder ou ganhar musculatura eleitoral, até mesmo o ocupante dos Leões. Para fechar o cálculo matemático temos que aguardar o humor e a decisão dos eleitores.

  • Coluna Aparte publicada na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

Eleição, mata-mata

Evidente operação de desgaste de pré-candidatos à prefeitura de São Luís está em andamento com a missão de limpar o terreno eleitoral retirando do cenário potenciais agregadores de votos.

Inexplicável o fato da sórdida campanha de desconstrução apontar autores da ação tendo estreita relação com o deputado federal e presidente do PCdoB do Maranhão, Márcio Jerry.

Composto por membros e blogueiros ligados ao grupo de Jerry, escolheram como primeira vítima o controverso deputado estadual Duarte Jr. (PCdoB) que sofre monitoramento e deturpação de cada passo político, obrigando o permanente e diário esclarecimentos a opinião pública do intenso comunista e aliado dos Leões.

Pitadas de venenos surgem pontualmente tentando arranhar a imagem dos indicados como concorrentes na campanha de 2020, Bira do Pindaré (PSB), Rubens Jr. (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM) aparecem lá e cá nos noticiários imputando como beneficiários numa possível queda do ex-presidente do Procon.

Competente comunicador, Jeisael Marx, surge como opção devidamente apoiado pelos amigos do círculo do presidente Jerry ao ponto de incomodar o senador Weverton Rocha (PDT) que, dizem apoiadores de Marx, teria determinado sua decapitação do Sistema Difusora.

Sempre triturado, Eduardo Braide (PMN), mantém o silêncio sepulcral tentando encontrar partidos que assinem sua segunda tentativa ao La Ravardière, mas saboreando as maldades internas do consórcio do governador Flávio Dino (PCdoB).

Ainda dizem que a campanha não começou, talvez somente a carnificina.

Charge do Nuna.

Astro versus plays

Caso resolva ser candidato o slogan da minha campanha será Astro versus plays

Genial e espirituoso nas tiradas sagazes sobre o comportamento político e respaldo por duas pesquisas de consumo privado colocando entre 7% a 9% nas intenções de votos permitem ao experiente vereador e pré-candidato à prefeitura de São Luís, Astro de Ogum, provocar a garotada gulosa pelo cargo em 2020.

Caema, quando?

Inacreditável que nenhum governo consegue competentes gestores para dar um jeito definitivo na CAEMA. Quando não são corruptos, são incompetentes. Mas dizem que para cano furado só trocando.

Charge do Nuna.

Só Katia Santos

Kátia Santos, presidente nacional do IPHAN, continua sua trajetória de competente técnica no segmento do patrimônio histórico, nem se encantou, muito menos deu bola para a tentativa de usarem seu nome como pré-candidata à prefeitura São Luís. Mas o futuro vai existir.