Simulacro – Populda Caixinha

Definitivamente ligaram o alarme contra a operação Simulacro. Que desviou, no governo de Roseana Sarney, quase R$ 1 bilhão da SEFAZ.

Agora, da mesma forma que tentaram constranger o promotor Paulo Ramos para desqualificar a acusação contra a quadrilha denunciada e aceita pela justiça do Maranhão, tentam asfixiar a juíza Oriana Gomes.

Cresce o receio da ex-governadora Roseana Sarney ser obrigada a depor como cidadã comum, sem foro privilegiado, fato destrutivo para a eleição de 2018.

Fica evidente que os políticos e empresários envolvidos podem criar uma polpuda caixinha com o intuito de postergar e comprar tudo e todos.

A primeira tática está em colocar os empresários envolvidos e figuras do governo juntos em aparições públicas, criando a sensação de relação com o poder.

A próxima deve ser nos gabinetes dos desembargadores.

CASO SEFAZ – OPERAÇÃO CONTRA MENDONZA

DE PRIMEIRA – Acontece, agora, uma operação de busca e apreensão de documentos, bens e equipamentos eletrônicos em residências  de pessoas ligadas ao acusado do desvio de quase R$ 1 bilhão da SEFAZ, o advogado Jorge Arturo Mendonza Reque Júnior, por ocultação de provas referente ao esquema criminoso.

O pedido foi apresentado pelos Paulo Ramos, Marcia Maia e Pedro Curvelo. Devidamente aceito pela juíza Oriana Gomes.

Coluna Aparte – Afogados

Protagonista de uma das cenas mais dantesca da política familiar maranhense, quando levou suas duas netas para banhar nas praias fétidas como prova que estavam limpas no governo de Roseana Sarney, o ex-secretário de saúde, Ricardo Murad, deve estar afogado de raiva com a matéria da revista Exame que afirma as praias de São Luís como primeiro lugar no ranking nacional de balneabilidade. Fica difícil banhar em águas limpas com tantas denúncias na sua gestão.

  • Nota publicada na Coluna Aparte, desta segunda (16), na página Opinião, no jornal O Imparcial.

COLUNA APARTE – Marcas

Repercute no meio empresarial a divulgação, pelo Grupo O Imparcial, das marcas mais lembradas pelos consumidores em São Luís. A pesquisa realizada pelo Instituto Impar Pesquisas, com o resultado avaliado pelo estatístico brasiliense Allan Ofuji, um dos mais reconhecido profissional do Brasil, permitiu uma leitura clara da opinião dos entrevistados. A pesquisa “Top Of Mind – As Marcas mais Lembradas” mostrou que o Grupo Mateus, escola Dom Bosco, hospital São Domingos, plano de saúde Hapvida, Shopping da Ilha, Universidade Ceuma, cantora Alcione, restaurante Cabana do Sol, Loja Riachuelo e a concessionária Dalcar continuam tendo lugar de destaque na opinião popular. Para 2017, fica evidente que a pesquisa vai virar prêmio.

Retificação – Na nota da Coluna Aparte houve um equívoco quanto ao nome do shopping mais lembrado na pesquisa, o Shopping da Ilha aparece em primeiro lugar, com 32,64% na preferência do consumidor.

Coluna Aparte – Publicada todas as segundas-feiras, na página Opinião, do jornal O Imparcial.

Dignos filhos?

Fica evidente que o caso da instalação de Unidade de Ressocialização da FUNAC, no bairro da Aurora, virou picuinha eleitoral. Em nenhum momento, do embate público, surgiu um agente social cobrando ou oferencendo soluções viáveis para o quase irreversível drama de milhares de jovens sendo perdidos para as drogas e o crime.

Evidente que a opinião pública vai na levada do “manda pra longe os marginais” da ex-vereadora de São Luís, Rose Sales, contra a disposição do secretário de comunicação, Márcio Jerry, em mostrar a clara intenção da Sales fazer campanha para deputada.

Todos estão miúdos, FUNAC, CEDCA e OAB, continuam sem um gesto em relação ao problema. Mais importante está a discussão do prédio pertencer a um membro do PCDOB, com todos os trâmites legais de licitação, seguido da rejeição da comunidade da Aurora.

Continuamos, diariamente, perdendo crianças e adolescentes sem surgir um competente gestor para determinar a prioridade determinada no ECA. Resta lembrar que uma terra digna cuida dos seus filhos.

Prenúncio Sísmico

Permiti aos mais aguçados imaginar, diante de todas as piadas surgidas pelo tremor de terra no Maranhão, que o abalo sísmico veio como um prenúncio do que será daqui para frente as rachaduras políticas, até alcançar a escala máxima na eleição de 2018.

Antecipadamente, os elegantes adversários foram transformando as relações no formato de inimigos. Nada de fala impessoal, vale o ataque frontal, rasteiro, sem os devidos cuidados para resguardar as possíveis alianças.

Evidente que todos aguardam a pancada do senador Roberto Rocha após a rejeição constitucional do governador Flávio Dino na homenagem ao ex-governador Luiz Rocha como placa de frente da Rodoviária de São Luís.

Todos os fatores e comportamentos conhecidos levam a crer numa explosão de mágoas pelas redes sociais. Resta entender como fica os deputados que aprovaram o póstumo projeto de eternização familiar.

Costume muito conhecido em prédios públicos nestas bandas.

Inusitada Posse

Todas as posses de vereadores e prefeitos seguem os mesmos rituais, entrega das declarações de renda, juramentos, assinatura da ata e os enfadonhos discursos do vou fazer e acontecer. Sem esquecer o público presente apertados pelo excesso de gente e nas roupas de festa.

Inusitado, esteve a posse do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda, com sua chegada e do vice Júlio Pinheiro tendo como motorista o governador Flávio Dino.

Nos discursos, a diferença ficou por conta de saber o que falar na quantidade de obras em parceria, no afirmar que o tempo da corrupção estacionou nos outros governos e na certeza que a fórmula de governar existe, basta o tempo para vacinar e imunizar a máquina pública.

Ficou evidente que a reforma anunciada pelo prefeito Holanda não condizia com a realidade nacional, muitos secretários presentes mexeram-se nas cadeiras com o aviso de juntar órgãos e austeridade visando economia.

Tudo normal no ritual dos vereadores, somente Astro de Ogum empolgado com a reeleição de presidente da Câmara de Vereadores dando uma de piadista de plantão com os demais colegas de parlamento.

BACABAL

Mesmo com uma posse temporária, possivelmente até março quando provavelmente acontece esta pauta no pleno do TSE, garantida pelo Ministro Gilmar Mendes, o prefeito Zé Vieira e o vice Florêncio Neto saboreiam uma vitória sobre o grupo do Senador João Alberto e no candidato Roberto Costa, derrotado nas urnas.

Intrigante entender como Gilmar Mendes, um assíduo frequentador das rodas do PMDB, permitiu esta façanha eleitoral.

Determinado Edivaldo

Definitivamente o prefeito Edivaldo Holanda (PDT) mostrou que este governo vai continuar no seu comando com o anúncio do novo secretariado municipal. Todos da sua confiança, ligados ao processo de gestão existente que fortalece a continuidade das ações.

Nenhum secretário será empossado, em solenidade, pelo prefeito, todos começam a trabalhar direto. Mesmo a vinda de Jota Pinto (PEN) para a articulação política era esperada pela habilidade nas negociações de bastidores políticos.

Todas as negociações de composição do quadro de gestores tiveram a blindagem do governador Flávio Dino para que políticos e assessores do seu grupo político não ousassem alguma interferência.

Apesar de todos os ruídos entre os vereadores Astro de Ogum (PR) e Ivaldo Rodrigues (PDT) pela tomada da pasta da cultura municipal, os ânimos foram domados com a posse de Ogum na Câmara de Vereadores e Rodrigues na Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento.

Amanhã (01), na posse dos vereadores e do prefeito, na FIEMA, Edivaldo Holanda, promete, didaticamente, mostrar como o novo mandato será uma extensão do atual. Mas sempre será esperado novidades.

Todos convidados?

Fica evidente que o prefeito Edivaldo Holanda fechou a lista de convidados para serem secretários na sua gestão de 2017 a 2020. Alguns confirmam o convite para continuar nos cargos, sempre solicitando o silêncio do nome. Outros, acreditam que ainda exista prazo para serem encaixados.

Fato que as negociações estão finalizadas, a comunicação da prefeitura não solta uma palavra. Para os mais afoitos ou magoados corre uma versão de criação de pastas adjuntas como forma de acalmar os ruídos.