Insensível

Chegando aos 90 anos fica patente que o ex-presidente Sarney decidiu não haver a necessidade de exercer o papel do “sensível aliado”, principalmente dos que deixam o poder ou estão sendo apeados. O presidente Figueiredo o chamava de falso preferindo o cheiro dos cavalos, Collor de tudo não publicável, Itamar mantinha a distância na tentativa de intimidade, Fernando Henrique destruiu a candidatura da filha Roseana à presidência, Lula o via como “diferente dos demais” e hoje diz que não sabia quem realmente ele era, Dilma tinha ódio dele na ditadura militar e nojo como presidente e o Temer escutou o último conselho do “não renuncia” sem lembrar que o último a sair que apague a luz. Agora, o novo amigo será o prefeito de São Paulo, João Dória. Sabe de nada.

  • Nota publicada na Coluna Aparte, na segunda (21), na página Opinião, no jornal O Imparcial.

 

PSDB, quem fala é Flávio

Caso a eleição fosse neste ano, possivelmente Flávio Dino (PCdoB) conseguiria sua reeleição com certa facilidade.

Mesmo com a divulgação das pré-candidaturas ao governo de Roseana Sarney (PMDB), Roberto Rocha (PSB) e de paraquedas Maura Jorge (PTN) nas redes sociais e na imprensa política. Mesmo sofrendo ataques diários para fustigar sua imagem, tudo leva a crer que Flávio Dino conseguirá novo mandato.

Com índices positivos nas pesquisas e a ampla coligação partidária seriam a plataforma confortável para confirmar uma alta votação. Para quem tinha dúvida da manutenção do PSDB, hoje, na convenção tucana, o principal discurso foi de Flávio Dino. Se depender de partidos, Flávio Dino conseguirá mais quatro anos.

Zé e Juscelino, entusiasmados democratas

“Foi a maior festa política que eu participei. Acima de qualquer expectativa.”

Entusiasmo do deputado federal Zé Reinaldo (PSB) durante o evento de lançamento da sua Pré-candidatura ao senado na casa do prefeito Cleomar Tema, em Tuntum, ontem (6).

“Sempre mantive uma boa relação com o deputado Zé Reinaldo, ele é um parlamentar experiente, ex-governador e merece todo nosso respeito. As movimentações partidárias fazem parte do jogo dinâmico da política, ele é uma liderança de peso, nos procurou demonstrando interesse em ingressar no partido para disputar o Senado, e se de fato vier filiar-se ao Democratas, não tenho dúvidas de que será uma grande aquisição para o partido, que se fortalece ainda mais no Maranhão, além de ampliar nossa bancada federal.”

Convicção do presidente estadual do DEM, deputado federal Juscelino Filho, quanto a vinda de Zé Reinaldo como pré-candidato ao senado em 2018.

Uber, vale com mandato

Presidente da Câmara de Vereadores, Astro de Ogum, avisa, em público, que vai exterminar a Uber de São Luís sancionando o Projeto de Lei da ex-vereadora Luciana Mendes. A defensora dos taxistas.

Silenciosamente, nos bastidores, arma a regulamentação da Lei que proteje os taxistas com o texto do Projeto de Lei do vereador Paulo Victor. Defensor da Uber.

Sem precisar entender, naturalmente atende ao vereador com mandato.

Provocou, piorou

Desembargadores rezam para não serem os próximos escolhidos para liberar Roseana Sarney do Caso Sefaz.

Depois de Froes Sobrinho liberar somente os bens da indiciada, o presidente Cleones Cunha sentiu-se obrigado a sair em defesa da decisão do desembargador pelas veementes críticas do promotor Paulo Roberto Ramos.

Novamente a indescritível juíza Oriana Gomes enxertou a ex-governadora no processo e determinou perícia nas provas. Foram provocar, piorou.

Limites da genética

Perfeita declaração do procurador federal Nicolau Dino determinando os limites institucionais com o governador Flávio Dino.

Dedutível calcular que na genética os irmãos são unidos, nada que o sangue não explique e o desejo do poder não amplie.

Inteligente silêncio

Fica evidente que a tática de defesa sobre a delação da Odebrecht, do grupo político de Flávio Dino, somente tem alimentado a oposição. Afirmar a honestidade permite a discussão dos fatos, ampliando a rasura da imagem.

Hora de esperar o Superior Tribunal de Justiça definir os próximos passos no processo, tempo generoso para contratarem estrategistas profissionais como forma de blindar a imagem do governador.

Evidente que todos os argumentos foram amplamente divulgados. Inteligente recuar para leitura do cenário público, avaliando se o silêncio não será o melhor instrumento de proteção.

A ordem é sangrar

Não se engane. O alvoroço gerado na política maranhense após a citação do governador Flávio Dino por um delator da Lava-Jato tem objeto claro: Eleições 2018. A oposição, antes cabisbaixa e com pouca munição, encontrou seu enredo. E começa a rodar o filme de outrora: sangrar o adversário até o dia da eleição. Tentarão fazer com o governador Flávio Dino o que fizeram com Jackson Lago.

Tirando foco

Mesmo envolvidos em muitas denúncias de corrupção, tanto no Maranhão, como no governo federal, o grupo Sarney está em êxtase.

Ontem (10), maltrataram no plenário da Assembleia Legislativa e no Sistema Mirante o deputado Levi Pontes (PCdoB) no episódio dos peixes, distribuídos em Chapadinha.

Hoje (11), a salivação, com gosto de vingança, teve como principal figura o deputado federal José Reinaldo (PSB), sem citar o senador Edison Lobão (PMDB).

Ambos citados na lista da Odebrecht, com denúncias aceitas pelo ministro do STF Edson Fachin.

Amanhã (12), cada minuto será dedicado ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Weverton, querendo muito!

Discursos fortes, tiradas de bom-humor, calor, abraços, muitas lideranças convocadas, afirmações de apoios à reeleição de Flávio Dino. Tudo normal na etapa de Barra do Corda para consolidação do nome de Weverton Rocha.

De diferente, somente a falta de costume em assistir um pré-candidato ao Senado fazendo uma longa caminhada antes do pleito.