Todos os posts de Raimundo Borges

Sem veto

Juscelino negou veto de Agripino a eventual coligação do DEM maranhense com o PCdoB. “A direção nacional vem deixando claro que a estadual do DEM terá autonomia para buscar a melhor coligação nas eleições de 2018, visando ao fortalecimento do partido e ampliar suas bancadas federal e estadual”, juramentou no Twitter.

Pé dentro do DEM

O deputado federal José Reinaldo está com o pé direito fora do PSB e o esquerdo no DEM. Incrível! Só falta uma reunião com o presidente nacional dos Democratas, Agripino Maia, e o estadual, Juscelino Resende. O detalhe é que Zé Reinaldo topa ir para o DEM, mas garantindo estar na coligação de Dino em 2018.

Apoio à distância

Washington tem o empregão vitalício e não se meteu na refrega deste ano no PT. Já Flávio Dino, que apoiou Augusto Lobão à distância, talvez tenha sentido novamente o jeito de ser do PT. Ele próprio, sexta-feira passada, defendeu que Lula assuma logo sua candidatura à sucessão de Temer, com o PCdoB junto.

Sem influência

O desfecho da eleição do PT maranhense quebra uma hegemonia de longos anos sob o domínio da dupla Raimundo Monteiro/Washington Oliveira, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, prêmio de loteria dado por Roseana Sarney, para ele abdicar da posição de vice governador em 2014.

PT de corpo inteiro?

O mais complicado processo eleitoral de um partido ou qualquer outra organização coletiva do Brasil terminou sábado,no Maranhão, com a simplicidade de uma eleição rotariana. Por aclamação de quatro das cinco chapas, que começaram elegendo presidentes municipais, Augusto Lobato sagrou-se presidente do PT maranhense, depois de 30 anos de militância e três derrotas. Foi o coroamento do Congresso
Estadual. “Lula também disputou quatro para ganhar a primeira. Com quatro correntes me apoiando, venci”, comparou ele, em tom de brincadeira, falando a este Bastidores.

Para um partido que viveu mais de 30 anos se digladiando pelo comando regional, agora, o passado virou uma página para esquecer. O deputado Zé Inácio, da corrente Construindo um Noivo Brasil (CNB), que saiu do processo de eleição direta (PED), em abril, com um delegado a mais que Augusto Lobato (97 x 96), acabou isolado pelas demais correntes lideradas por Francimar, Márcio Jardim, Eri Castro e Augusto Lobato. E perdeu. Agora, o vencedor fala de unificação, mesmo reconhecendo que a história do PT é história de divergência dentro e fora de suas hostes.

O governador Flávio Dino e o secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry – dois ex-petistas de raiz –, foram comemorar a vitória de Lobato. Antes de ingressarem no PCdoB, viveram os momentos mais tensos do PT maranhense. Seus embates históricos como Domingos Dutra x Vila Nova, Washington Oliveira x Domingos Dutra, PT de Sarney x Resistência Petista, tudo isso ficou para trás. Mas restam ranhuras que terão de passar por um polimento à base de compreensão do momento político brasileiro. Isso passa pela reconstrução da imagem do PT e da eleição ou não de Lula em 2018.

Em 2010, o PT estava tão dividido sobre a eleição de governador do Maranhão, que foi preciso intervenção do diretório nacional no regional, para obrigá-lo a coligar com Roseana Sarney, dois anos depois de ela cassar Jackson Lago no TSE. Flávio Dino estreou na disputa do governo, mas ficou longe de Roseana. Em 2014, o partido novamente
recebeu recomendação para apoiar Lobão Filho (PMDB), embora a maior parte da militância tenha optado por Flávio Dino. Agora, augusto Lobão não tem dúvida de que o partido vai de corpo inteiro com os comunistas em 2018.

Pressionados pelas ruas

Com importantes ministérios na gestão Temer, legendas compõem a base de apoio ao governo no Congresso, mas as bancadas parlamentares estão divididas quanto às mudanças nas aposentadorias e nas relações capital trabalho. São 44 votos em jogo. Michel Temer quer mais que os 303 votos necessários.

Embolados

Se decidir não concorrer ao governo do Maranhão, onde já bateu recorde histórico com 14 anos no Palácio dos Leões, Roseana Sarney pode optar pela eleição do Senado. Nesse caso, o candidato a governador poderia ser João Alberto, para puxar a chapa peemedebista. E Sarney Filho, como ficaria? Está cansado da Câmara – 28 anos.

Operação Jenga

Com a decisão do juiz Flávio Roberto Ribeiro Soares, da Central de Inquéritos de São Luís, que soltou os 16 os presos na Operação Jenga, da Polícia Civil do Maranhão, o mais notável deles, Josival Cavalcanti, o Pacovan, e sua esposa, vão passar o Dia das Mães em casa. Porém, usando tornozeleira eletrônica.

Todos são acusados de movimentar o montante de R$ 200 milhões em operações tributárias suspeitas. Inclusive, do crime de agiotagem, tipifi cado de baixa punibilidade, contra a economia popular, nos termos
do artigo 4º da Lei 1.521/51 (CPP). Pena: detenção de seis meses a dois anos.

Fato Inusitado

Em 2014, a disputa do governo gerou um fato inusitado. O PT foi obrigado a permanecer na aliança com o PMDB de Lobão Filho, repetindo 2010 com Roseana Sarney, mas o grosso da militância preferiu Flávio Dino. Em 2018, Dino, finalmente terá o apoio inteiro do PT, que vive em “guerra” contra o PMDB dos Sarney.

Embate até último minuto

A votação ocorreu na tarde de ontem sem qualquer previsão de quem venceria. José Inácio e Augusto Lobão poderiam somar com as chapas que ficaram para trás no PED. O presidente regional Raimundo Monteiro nem arriscou prognóstico. “Está tudo embolado e vai ter ainda muito debate”,resumiu, de manhã.