Arquivos mensais: outubro 2017

Sem pé nem cabeça

Os trabalhadores resgatados em condições análogas à escravidão não têm absolutamente nada que possa comparar ao “trabalho exaustivo” do ministro Gilmar Mendes, no Supremo Tribunal Federal, como ele mesmo sugeriu na passada. Se foi ironia ou rompante, nada justifica tal colocação.

Nova lista suja

As fazendas Grapia (São Pedro de Água Brnaca), Lago Azul (Brejo de Areia), Sara (Miranda do Norte) e a construtora Zurca, responsável pela construção do campus da UFMA em Imperatriz, entraram na nova lista suja do trabalho escravo, divulgada na última sexta-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

“Moral da BR” sai do asfalto

O deputado estadual Josimar do Maranhãozinho (PR), campeão de votos em 2014, já esbanja poderio pelo interior, onde buscará em 2018 uma cadeira na Câmara dos Deputados. É a mesma estratégia do chamado “Moral da BR”, quando fechava a BR-316 para fazer festas no asfalto, garantida pela moral do bolso farto.

Folha corrida limpa

João Alberto tem a obrigação de ajudar o filho a conquistar o segundo mandato na Câmara dos Deputados. Mas é também um dos poucos mandatários do Maranhão que não possuem demanda na Justiça que possa lhes causar embaraço na campanha. Esse pode ser um ponto relevante, caso resolva investir em novo mandato.

Só espiando

O senador João Alberto não revela nem para o filho, deputado João Marcelo, qual seu verdadeiro projeto para 2018. Seria vice de Roseana, que pensa mais em oferecer o posto ao PT? Ou tentaria novo mandato, na hipótese de Edison Lobão se enrolar na Lava-Jato? Ele conversa, conversa, mas não diz o que os interlocutores querem ouvir.

Maquinações em movimento

Os impasses políticos saltitam tanto no âmbito nacional, com a disputa da Presidência, quanto no Maranhão, quando o assunto é eleição majoritária. No espectro Brasil, a fila pela cadeira principal do Palácio do Planalto não para de crescer, sem falar no empurra-empurra dentro do PSDB, onde João Doria e seu criador Geraldo Alckmin estão perto do esbofeteio público.

No Maranhão, há disputas históricas entre Roseana Sarney e Flávio Dino, enquanto Roberto Rocha tenta abrir espaço próprio como a terceira via. Além desse confronto de urna, há um ‘requequé’ emblemático, no qual tanto Roseana, quanto Dino quebram lanças para ter no palanque o petista Luiz Inácio Lula da Silva. Como maior fenômeno da pré-campanha, o ex-presidente virou espécie de neve
de clara: quanto mais bate, mais cresce nas pesquisas.

Outra fila que se forma na eleição majoritária do Maranhão é a que começa a tomar forma a partir das candidaturas de Roseana Sarney e Flávio Dino, na disputa das duas vagas de vice e de senador. A de Dino já conta com Waldir Maranhão, Weverton Rocha, José Reinaldo – todos deputados federais, enquanto a de Roseana tem como preferencial
o irmão dela, Sarney Filho, Edison Lobão e João Alberto. Já Gastão Vieira, Sebastião Madeira e Eliziane Gama preferem a postura de avestruz. Esperando o que vem pela frente.

No contexto geral, todos os pré-candidatos estão com um olho nos redutos eleitorais, nas regras das eleições sem financiamento empresarial, e outro olhar voltado para Brasília, sobre o desdobramento da Lava-Jato, do governo Michel Temer e das reformas impopulares que deputados e senadores terão pela frente. É um jogo que começa a ser jogado, mas apenas com jeito de treinamento.
Na disputa presidencial, Lula espera o que vai sair da Lava-Jato. Na estadual, é o governo Flávio Dino chegando ao último ano, contra os Sarney, tentando arrombar a porta que leve Roseana de volta ao Palácio dos Leões.

Como funciona

Para o presidente do TJMA, desembargador Cleones Cunha, a proposta visa estabelecer de maneira concreta o papel dos juízes de paz no Estado, enquanto cidadãos eleitos pelo povo para prestar as atribuições, como celebrar casamento civil e examinar – de ofício ou mediante impugnação – o processo de habilitação para casamento e uma série de outras ações.

Justiça popularizada

O Tribunal de Justiça do Maranhão vai regulamentar a Justiça de Paz no Estado. Ontem, foi aprovado pelo plenário da corte, a minuta da proposta de Lei Complementar que objetiva regulamentar a Justiça de Paz remunerada. A medida obedece norma da Constituição Federal
e recomendação do CNJ. E será encaminhada à Alema.

Denúncia contra Suzano

O deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) voltou a acusar a empresa Suzano Papel e Celulose de desmatar e acabar com rios e riachos da Região Tocantina, por conta dos grandes plantios de eucalipto. E de tomar áreas de lavradores no município de Vila Nova os Martírios. Ele disse que a região corre risco de desmatamento, como ocorre no Espírito Santo.

Fora do PP, mas com PCdoB

Waldir se postou sempre contra a impeachment de Dilma Rousseff. Foi eleito pelo PP, mas depois foi passado para trás pelo colega de bancada, André Fufuca. Hoje Waldir controla a legenda nanica, Avante, mas
permanece aliado do governador Flávio Dino, assim como Fufuca passou a ser recentemente.